Reduziu consideravelmente o desejo sexual com distúrbios hormonais

Causas comuns de distúrbios sexuais são diabetes, alcoolismo, dependência de drogas, intoxicação e distúrbios metabólicos. Nessas doenças, a transmissão do impulso através das fibras sensitivas e motoras é prejudicada, o que significa que o arco reflexo, que proporciona uma ereção, também sofre.

Problemas com a potência, por vezes, aparecem após lesões ou doenças da medula espinhal e do cérebro. Muitas vezes, uma ereção quebrada é o primeiro sintoma de uma lesão infecciosa, trauma, tumor, epilepsia ou doença de Parkinson.

Reduziu consideravelmente o desejo sexual com distúrbios hormonais. Por via de regra, isto ocorre no contexto de uma falta de hormônios sexuais masculinos ou com um excesso de mulheres.

Se ocorrerem problemas de ereção devido à deficiência de testosterona (ocorre durante a lesão inicial dos testículos, ou declínio relacionado à idade na produção de testosterona), o paciente é prescrito terapia de reposição hormonal. Antes disso, são necessários estudos para eliminar o tumor da próstata do paciente.

Se um homem tem distúrbios do sistema hipotálamo-hipófise, por exemplo, hiperprolactinemia, o tratamento da disfunção erétil é realizado pela prescrição de medicamentos que reduzem o nível desse hormônio.

Entre os muitos problemas sexuais que podem ocorrer em homens, a disfunção erétil é uma das mais comuns. Pode se desenvolver com a idade de 30 a 40 anos. No entanto, graças ao desenvolvimento da terapia oral, os métodos e métodos de diagnóstico para o tratamento desta doença evoluíram bastante. Em seguida, consideramos as causas de tais problemas e como tratá-los. Vamos também abordar formas de prevenir esta doença.

No entanto, este termo recentemente tornou-se raramente usado na literatura médica internacional. Existem várias razões para isso. Por um longo tempo ele foi repreensível por natureza e não foi totalmente preciso e fortemente generalizador. Prático sempre colocado em casos em que o paciente se queixou de uma diminuição na duração da relação sexual ou uma diminuição (ausência) do desejo sexual.

O diagnóstico freqüentemente soava como uma sentença. No momento, é considerado uma violação da ereção e não está diretamente relacionado à ejaculação, isto é, a capacidade de um homem para realizar a ejaculação. Em muitos pacientes, a ereção ainda está presente, mas não é suficiente para a relação sexual normal.